Skip to content

Para marcar o tempo [2]

Hoje de manhã acordei cedo, tomei café com Vini e depois voltei para cama. Pela porta da varanda, podia ver as Jandaias comerem açaí no terreno do vizinho. Gastei uma hora entre essa distração e Pepe. Acho que devia ser direito humanitário passar 1 hora do dia observando pássaros.

(mais…)

Para marcar o tempo (1)

Paulo Gustavo morreu ontem e eu passei o dia com vontade de chorar mesmo não entendendo ele como artista. Meu tipo de humor é diferente do mundo de gente que está sentindo tanto e me fazendo sentir também.

Hoje foi um dia esquisito em que as coisas que estavam previstas não aconteceram e outras que eu não esperava me pegaram de surpresa, me irritaram, me tiraram a vontade.

Acho que nunca vou conseguir conquistar alguma coisa que demande esforço porque não tenho a persistência necessária para não desistir. Admiro quem tem paciência de vencer o tédio, a contrariedade, o ciclo de erros.

Sou feito fogo que consome tudo de uma hora para a outra e termina o que começou em segundos. Se a minha busca demora o tempo de uma construção, tijolo por tijolo, eu queimo o combustível e fico pelo caminho.

O espaço de escrita de Woolf, Austen, Angelou, as Brontë e mais

Criar uma rotina de escrita ainda é algo que tenho muita dificuldade, principalmente porque com casa, trabalho e casamento, ainda não consegui ter um lugar ou horário certos para fazer isso. Muitas vezes escrevo enquanto faço caminhadas pela manhã, fazendo anotações no celular, e só depois, nos intervalos do trabalho, consigo passar a limpo.

(mais…)

Join the discussion