• Crônicas,  Inspire pessoas

    Equilíbrio entre arte e trabalho

    Entrei na faculdade de jornalismo com a esperança de um dia ser colunista do jornal A Tarde, na época o maior jornal da cidade de Salvador. Com o tempo meu sonho foi se despedaçando junto com a estrutura física e intelectual do jornal que se viu atolado em dívidas e perdeu espaço para a internet. Quando eu saí da faculdade eu já trabalhava numa organização não governamental que abastecia um site de notícias sobre sustentabilidade, mas não conseguia fechar contratos para se manter funcionando. Eu amava fazer entrevistas com voluntários e escrever sobre as últimas novidades do mundo sustentável, mas recebia pouco e sabia que não teria uma carreira na…

  • Crônicas

    Como vou encarar 2019

    Cheguei a uma conclusão sobre 2019 antes mesmo do ano começar. Como mulher, escritora, redatora, empresária, entendi que nesse ano vou ter que ser forte. Simplesmente porque prevejo que o caminho que percorre aquele que está à favor da humanidade não é um caminho fácil. Não é fácil ser uma mulher em meio a sociedade que vivemos, como também não é fácil ser homem ou trans. A violência, o assédio e a preterência em relação aos que tiveram sorte de ser privilegiados é algo enfrentado por todos os sexos, em seus diversos graus. Há sempre alguém à frente. Por isso falo com toda a certeza de que 2019 não será…

  • Contos

    O desespero é contagioso

    Quem nunca foi levado ao desespero pelo contágio de outra pessoa não sabe o que é arrepio na espinha. Porque uma coisa é você se sentir desesperado e ter alguém que lhe conforte, outra completamente diferente é você ser levado ao desespero pela pessoa que te serve de base emocional. Frequentemente esse contágio se dá entre casais, amigos ou parentes que dividem muitos momentos juntos. Invariavelmente, a pessoa que é a base emocional da relação não consegue segurar o desespero o tempo todo e a contaminação é certa. Se não houver alguém que tome as rédeas da situação, todos estamos perdidos. Júlia e Pedro estavam juntos há três anos. Ele…

  • Crônicas

    Cinema

    Entrar numa sala de cinema nunca é uma decisão que eu tomo de forma displicente. Primeiro porque o ingresso não é barato, segundo porque os dias e as noites estão tão corridos que não posso mais me dar o luxo de gastar duas horas da minha vida numa bobagem. Tem que ter um propósito. E, invariavelmente, as minhas ultimas idas ao cinema têm apenas um propósito: me distrair. Eu não escolho mais assistir filmes tristes. Eu não escolho mais filmes dramáticos cotados ao Oscar. Eu quero aquele filme comédia romântica que vai me fazer ficar nas nuvens por uma hora e meia. Eu quero aquele filme de magia que vai…

  • Crônicas

    Situações

    Há acontecimentos que nos prendem a situações insuportáveis, das quais queremos fugir mas nunca conseguimos. Certa feita, na tentativa de conseguir realizar algo que eu queria muito, precisei vender a minha alma ao diabo para conseguir. Agora pago em parcelas de agonia e desencanto cada vez que me vejo presa à mesma situação. O diabo, que antes se fingiu preocupado e atencioso comigo, agora ri escondido a cada nova queixa minha e responde “tudo vai se resolver”. Eu me resigno a aceitar ao que me sujeitei e aguardo o tempo passar até que minha dívida esteja quitada.