• Contos

    A paixão por Mr Knightley

    “Deus sabe que tenho sido um enamorado bastante medíocre. Sim, veja bem, você compreende meus sentimentos (…) e vai poder retribuí-los se puder. De momento só peço para ouvir, ouvir mais uma vez a sua voz”.   Manu caiu para trás, deitada na cama, num grande suspiro. Perdeu as contas de quantas vezes já tinha lido esse trecho do livro nos últimos dias. Sabia que já era a segunda vez que havia lido naquele dia – uma logo quando acordou e outra depois, agora, depois de chegar do trabalho. Ainda não tinha jantado ou tomado banho, não tinha fome e não estava com vontade de fazer nada, só ficar ali…

  • Contos

    O desespero é contagioso

    Quem nunca foi levado ao desespero pelo contágio de outra pessoa não sabe o que é arrepio na espinha. Porque uma coisa é você se sentir desesperado e ter alguém que lhe conforte, outra completamente diferente é você ser levado ao desespero pela pessoa que te serve de base emocional. Frequentemente esse contágio se dá entre casais, amigos ou parentes que dividem muitos momentos juntos. Invariavelmente, a pessoa que é a base emocional da relação não consegue segurar o desespero o tempo todo e a contaminação é certa. Se não houver alguém que tome as rédeas da situação, todos estamos perdidos. Júlia e Pedro estavam juntos há três anos. Ele…

  • Contos

    Paciência

    Num hospital de atendimento de emergência ortopédica, ainda cedo pela manhã, havia alguns senhores e senhoras de idade, um menino com o braço quebrado e uma moça acompanhada do seu pai. A espera por atendimento na recepção era de mais ou menos uma hora. As pessoas chegavam, entregavam a carteira do plano de saúde e a identidade, sentavam-se para aguardar serem chamadas e preencher uma ficha, para então aguardar pelo atendimento. A moça, Marina, estava ali com dor na coluna lombar que aparentemente surgiu do nada, mas já era velha conhecida. Ele teve um episódio de crise aos vinte e poucos anos que agora, aos quase trinta, parecia que ia…

  • Contos

    A única certeza

    Há momentos da vida em que é preciso ter a sensação que você está prosperando, indo de encontro a tudo o que lhe prometeram e lhe é cabido. Mas quando você rema, rema e não sai do lugar, como lidar? Foi assim que Fabrício estava se sentindo depois de ter recebido um telefonema que o deixou sem chão por alguns segundos. Aquele estava sendo um dia exaustivo, ele passou a manhã numa reunião improdutiva que só lhe rendeu um pensamento “quanto dinheiro parado”. Foi ideia dele chamar o cliente para conversar porque não era possível que o pagador estava “teimando em fazer errado”. Queria explicar a melhor forma de resolver…

  • Contos

    Nunca peça desculpas por como conseguiu sobreviver

    Relacionamentos ficam melhores com o tempo. Não porque as coisas se ajustam e os problemas vão embora. Mas porque depois de um tempo convivendo com a pessoa amada, você aprende (ou deveria) a conhecer melhor aquela pessoa e passa a entender como se dão as situações de crise. Passando por um bom número de situações de crise e continuando com o mesmo relacionamento por vontade própria, você desenvolve (ou deveria) auto-estima suficiente para aceitar os defeitos e mal-feitos  do outro, sem se sentir diminuído, ainda que machucado.